Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

FELIZidade



Às vezes acho que nasci com alguns anos de atraso. Outrora, tendo em vista a possibilidade de "transitar " por outras épocas, acabo achando que não. Gosto de filmes que a maioria das pessoas da minha idade não gostam, de músicas que a maioria delas também não gosta e tenho aprendido a transitar entre as diversas faixas etárias e a deixar de lado um pouco aquele formato engessado de que temos que conviver apenas com pessoas da nossa idade e, pior, acreditar que apenas elas são interessantes.
Gosto do diferente, das descobertas, das boas conversas. Gosto de ouvir o que os outros tem a dizer, muitas vezes ensinar. Gosto de conversar com as pessoas de 20, 40, 60, 80 anos... sem preconceitos, sem frescuras, sem achar que estou perdendo meu tempo. Todo tempo é precioso quando podemos aprender com alguém, quando podemos compartilhar ideias, felicidades e bons momentos.
Talvez seja por esse motivos que gosto tanto de artes, de música e literatura. Tudo o que é capaz de eternizar um momento e torná-lo atemporal, encantando pessoas de todas as idades e tornando-se algo comum entre elas.
Quero viver a diversidade, as diferenças e o que há de mais belo em cada fase da vida. Não sou a minha idade, nem tenho que gostar apenas das coisas que surgiram a partir da década em que nasci. Vivo em um mundo em movimento, em que as tendências e as pessoas vêm e vão. Um mundo onde já tinha acontecido muita coisa antes que eu chegasse e que, nada me impede de conhecê-las. 
Posso viver os meus  vinte e cinco, voltar para os quinze - se puder e, ir para os trinta e cinco - se precisar. Posso conversar como uma criança como se ela fosse "gente grande" e com uma pessoa mais velha como se fosse uma criança... Não gosto de agregar idade as pessoas e coisas, o que eu gosto mesmo é de agregar a  FELIZidade que elas transmitem.

PS: "Deixe que o beijo dure/ Deixe que o tempo cure/ Deixe que a alma/ Tenha a mesma idade/ Que a idade do céu..." (Paulinho Moska).

Nenhum comentário:

Postar um comentário