Páginas

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Se...


Se me pergunta “Afinal, o que quer comigo?” e, se na falta de respostas, de destreza com as palavras, lhe respondo “Não sei, eu não sei o que quero”, por favor, não se assuste. Pode ser que não saiba o que quero comigo mesma, o que espero de mim ou talvez essa resposta esteja escondida e eu ainda não soube encontrá-la.
Se as palavras me faltam, se não sei me expressar, por favor, paciência. Pode ser que meus olhos estejam me distraindo, que meus lábios não descrevam os meus pensamentos ou que eu realmente não consiga mais pensar em nada quando está em minha frente.
Se me beija assim, de repente, se por um momento fico calada, te olhando, meio desconcertada, mais uma vez, por favor. É que a vida é mesmo surpreendente, nem sempre o que acontece em nossa frente é aquilo que conseguimos ver.
Se não encontro as respostas, não entendo as perguntas, é que sou tão profunda, mas me sinto tão vazia, então..., por favor. Pode ser que seu perfume ainda esteja em minha blusa, minha voz se confunda com a sua, simplesmente me deixando perdida nessa mistura de tudo e nada que somos nós.

PS: "Sei lá o que te dá que não quer meu calor/ São Jorge por favor me empresta o dragão/ Mais fácil aprender japonês em braile/ Do que você decidir se dá ou não..." (Djavan)

Nenhum comentário:

Postar um comentário