Páginas

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Bright shining as the sun



Minha vida e do Elvis não coicidiram, quando eu nasci ele já tinha morrido há oito anos e, só fui tomar conhecimento de suas músicas uns 10 anos depois, ouvindo ele cantar "Tutti-Frutti" e "Kiss me quick" em uma fita cassete comprada na feira, daquelas que se você gostasse muito de uma música (coisa que sempre acontece comigo) tinha que rebobinar toda hora - isso quando a fita não enroscava no cabeçote do gravador.
Depois teve uma vez na quinta série em que ensaiamos para dançar "Jailhouse rock" - super bem ensaiado, com passos de rockabilly, daqueles em que jogam a gente de um lado para o outro, principalmente porque sempre fui a mais leve das meninas. Eu iria usar uma saia branca de bolinhas coloridas (que nem era tão anos 50/60, mas dava para o gasto) e, no fim, deu alguma coisa errada na escola e não dançamos.
Anos depois, com a facilidade do acesso à internet, Elvis e suas músicas ficaram mais acessíveis. Às vezes ouvíamos algumas músicas em casa - meu pai adora "It's now or never" e sempre dizia que tinha um filho de um amigo dele que tocava as músicas dele super bem.
Daí, mais alguns anos, conheci a Hanna - apaixonada pelo Elvis, sempre dizendo que a vó dela também adorava, que tinha cds dele em casa e tal.
No início da faculdade, algumas idas ao Wolly Bully com o pessoal do bus para curtir um rockabilly.
Mas posso dizer que, nesse ano que, de fato, passei a conhecer mais sobre as suas músicas e a sua história, principalmente por ter conhecido um cara apaixonado pelo Elvis e que canta suas músicas com muita propriedade, meu amigo Rudy - coincidentemente o filho do amigo do meu pai.
Se estivesse vivo, hoje Elvis teria idade para ser meu avô... olha que engraçado! No entanto, após 33 anos de sua morte, suas músicas permanecem - sejam as mais lentas com suas belas letras ou as mais eletrizantes, em que não conseguimos ficar parados. Duvido que exista alguém que não goste de ao menos uma música dele...
De qualquer maneira, muitas de suas músicas já embalaram e ainda embalam muitas histórias.

PS: ♪ Amazing grace, oh how sweet the sound/ That saved a wretch like me/ I once was lost, though now I'm found/ I was blind, but now I see/ When we've been there ten thousand years/ Bright shining as the sun... ♫

Um comentário:

  1. È,e aí sim fomos surpreendidos novamente,um história legal,curiosa e interessante,até mesmo porque eu tbm acho o Elvis fantático,e acho que como ele não exixtiu e jamais vai existir um outro cantor que cante rock tão bem como ele.

    ResponderExcluir